------------------------------------------------

Caso Débora: Material genético de suspeito está sendo comparado com vestígios encontrados no corpo da menina

A Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), encaminhou na manhã desta segund...

A Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), encaminhou na manhã desta segunda-feira (17) para a Perícia Forense do Estado (Pefoce) o material genético de Walderir Batista dos Santos (39) preso na última quinta-feira (13) suspeito da morte de Débora. Também conhecido como "Bracinho", Walderir já responde seis procedimentos policiais por homicídio, lesão corporal, roubo e ameaça.

Durante coletiva de imprensa, realizada na tarde de hoje, a cúpula da segurança pública divulgou detalhes do trabalho investigativo que resultou na prisão do suspeito. "Nós, que fazemos a segurança pública do Estado, não medimos esforços, num  primeiro momento, para localizar a Débora com vida. Utilizamos nossos melhores recursos para realizar buscas. Infelizmente, não logramos êxito. Porém, com a descoberta do corpo passamos a investigar para descobrir o responsável por esse crime tão cruel. Não paramos até dar a resposta que a família e a sociedade pedia", afirmou André Costa, secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A prisão de Walderir ocorreu em um local conhecido como "Carandiru", no bairro São José na Parnaíba, no Estado do Piauí, para onde o homem fugiu após cometer o crime. Policiais civis do Departamento de Inteligência Policial (DIP) da PCCE foram responsáveis pela captura. Após a prisão, o homem foi conduzido para a sede da DHPP, em Fortaleza, onde confessou o crime. "Durante as investigações acerca do sumiço de Débora, descobrimos que concomitantemente Walderir, que era frequentador da região, também desapareceu. E ele possuía as características da pessoa que procurávamos como principal suspeito. Passamos então a diligenciar nos possíveis endereços onde ele costumava frequentar", disse Rene Andrade, diretor do DIP. Ainda segundo o diretor, a Polícia descobriu que o homem teria parentes na Parnaíba, então passaram a diligenciar na região.

Conforme o diretor da DHPP, Leonardo Barreto, a Polícia investiga agora a motivação do crime. "Essa versão dele que cometeu o crime por vingança, devido à venda de flanelas no local, ainda é apurada", disse o delegado. Em depoimento, o homem confessou o crime e afirmou que Débora não chorou. "Ele disse que pegou na mão dela e seguiu andando normalmente até o local onde o corpo foi encontrado", disse Leonardo. Walderir afirmou ainda que utilizou uma pedra para matá-la.

O caso

O desaparecimento e morte de Débora, ocorridos na noite do dia 27 de março, no bairro Aerolândia, foi apurado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), que é responsável por investigar casos desta natureza, com o apoio do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

As buscas nas proximidades onde ocorreu o fato foram realizadas por policiais militares do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), da Companhia de Policiamento com Cães (CPCães) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), e do Policiamento Ostensivo Geral e do Ronda da área; bombeiros da Seção de Buscas e Resgates de Salvamento com Cães e da guarnição de Salvamentos 01; além de servidores da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da SSPDS, que realizam sobrevoos na região.

A localização do corpo ocorreu no último dia 07, em um terreno na Avenida Almirante Henrique Sabóia (Via Expressa), e a identificação do corpo foi finalizada, na tarde do dia 10, após exame de análise do DNA.

Reproduzido por MassapeCeara.Com|Créditos: SSPDS
Nome

DESTAQUE ENTRETENIMENTO ESPORTE MUNDO OUTRAS POLICIA POLITICA REGIAO SAÙDE TECNOLOGIA VIDEO
false
ltr
item
MassapeCeara.com: Caso Débora: Material genético de suspeito está sendo comparado com vestígios encontrados no corpo da menina
Caso Débora: Material genético de suspeito está sendo comparado com vestígios encontrados no corpo da menina
https://4.bp.blogspot.com/-mssry4Ko4zU/WPVJOcRnb6I/AAAAAAAAfRQ/Ca10WTbsNR0klri-dZNoBhVxN4xRubiMwCK4B/s640/Cr%25C3%25A9ditos%2BMassapeCeara.com13%2B2017-04-17.jpg
https://4.bp.blogspot.com/-mssry4Ko4zU/WPVJOcRnb6I/AAAAAAAAfRQ/Ca10WTbsNR0klri-dZNoBhVxN4xRubiMwCK4B/s72-c/Cr%25C3%25A9ditos%2BMassapeCeara.com13%2B2017-04-17.jpg
MassapeCeara.com
http://www.massapeceara.com/2017/04/caso-debora-material-genetico-de.html
http://www.massapeceara.com/
http://www.massapeceara.com/
http://www.massapeceara.com/2017/04/caso-debora-material-genetico-de.html
true
6199378621188747977
UTF-8
Não foram encontrados posts VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Excluir De Inicio PÁGINAS POSTAGENS Ver tudo tudo RECOMENDADO PARA VOCÊ RÓTULO ARQUIVO SEARCH TODAS AS PUBLICAÇÕES TODAS Não foram encontrados resultados com a sua mensagem Back Home Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Quinta Sexta-feira Sábado Dom Se Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago Mais de 5 semanas atrás Seguidores Segue ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Compartilhe para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar